"O amor, o conhecimento e o trabalho, são fontes de nossas vidas. Deveriam também governá-los". - Wilhelm Reich







quarta-feira, 14 de julho de 2010

Conheça os Principais Métodos Pedagógicos que existem no Brasil


• Pedagogia Waldorf (antroposofia)
- TEORIA

Método de ensino baseado nas conferências que o filósofo alemão Rudolf Steiner (1861-1925) deu a partir de 1919, trabalha em conjunto três âmbitos do desenvolvimento da criança: físico, social e individual. Os alunos são divididos em faixas etárias e não em séries, pois Steiner acreditava que cada idade tem necessidades específicas a serem atendidas. O aluno waldorfiano estuda com a mesma turma dos 7 aos 14 anos. Como o ritmo biológico não pode ser alterado, não há repetência. O método dá igual importância às formações ética, estética e acadêmica. Chama-se Waldorf pois os primeiros alunos de Rudolf Steiner foram funcionários da fábrica Waldorf Astoria, na Alemanha.
- APLICAÇÃO

A pioneira da pedagogia Waldorf no Brasil é a escola Waldorf Rudolf Steiner, de tradição alemã, fundada em 1956. Há outras três escolas em São Paulo que adotam a mesma metodologia.

• Maria Montessori
- TEORIA

Com Piaget, Maria Montessori (1870-1952) elaborou uma teoria científica do desenvolvimento infantil. Ao contrário deste, seu trabalho concentrou-se na elaboração de uma proposta pedagógica.
Para Montessori, o ensino deve ser ativo. A criança desenvolve um senso de responsabilidade por seu próprio aprendizado. A pedagogia montessoriana enfatiza a concentração individual por meio da manipulação de objetos. Na sala de aula, a atenção do aluno é desviada do professor para as tarefas a serem cumpridas. O professor é um "guia" que remove obstáculos à aprendizagem e isola as dificuldades da criança.
- APLICAÇÃO

Disposição circular da sala de aula, prateleiras com jogos pedagógicos acessíveis aos alunos, cubos lógicos de madeira para o ensino de matemática são algumas das inovações do método montessoriano usadas até hoje nas escolas.

• Construtivismo/estruturalismo de Jean Piaget
- TEORIA

O filósofo Jean Piaget (1896-1980) estudou os modos com que a criança entende o mundo espontaneamente por assimilação -organizando os dados do exterior de uma maneira própria- e por acomodação, isto é, "deformando" essa organização para poder compreender a realidade.
Para Piaget, a inteligência lógica tem um mecanismo auto-regulador evolutivo. Certas noções, como quantidade, proporção, sequência, causalidade, volume etc. surgem espontaneamente em momentos diferentes do desenvolvimento da criança em sua interação com o meio.
As idéias de Piaget garantiram aos psicólogos que havia um mecanismo natural de aprendizagem e que a escola deveria acompanhar a curiosidade da criança, propondo atividades com temas que a interessassem naquele momento, sem se prender a um currículo rígido.
O russo Lev Vygotsky, contemporâneo de Piaget, desenvolveu uma psicologia também chamada construtivista, mas considerando as atividades interpessoais da criança e a história social.

- APLICAÇÃO

No Brasil, o construtivismo começou a ser aplicado sistematicamente na primeira Escola Novo Horizonte e depois na Escola da Vila, em São Paulo.

• Pragmatismo

- TEORIA

Elaborado no início do século pelo educador norte-americano John Dewey (1859-1952), o pragmatismo ou instrumentalismo baseia-se na idéia de que a inteligência é um instrumento. Privilegia a resolução de problemas e a ciência aplicada.
É um modelo de educação que se opõe ao ensino europeu clássico, mais abstrato e concentrado nas humanidades e na filosofia.
- APLICAÇÃO

Na década de 20, influenciou o movimento da Escola Nova, que, no Brasil, tentou a reforma do ensino introduzindo métodos ativos de participação dos alunos na sala de aula.

• Construtivismo pós-piagetiano

- TEORIA

A Argentina Emilia Ferreiro, aluna de Jean Piaget, expandiu as idéias de seu mestre para o campo da escrita e da leitura. Concluiu que a criança descobre as regras da língua escrita (ler da esquerda para a direita, entender que as letras reproduzem a fala) antes mesmo de ir à escola.
Grande parte das crianças se alfabetiza sozinha, desde que imersa num ambiente alfabetizante.
Ferreiro e Ana Teberosky descobriram que toda criança passa pelas mesma fases ao aprender a ler e escrever e que essas fases determinaram o tipo de erro que cometem.
Essas descobertas vêm revolucionando as formas mais tradicionais de alfabetização, baseadas em cartilhas que apresentam apenas fragmentos da língua escrita.
- APLICAÇÃO

Generalizada. A grande maioria das escolas brasileiras, incluindo as da rede pública, recorre hoje à teoriado construtivismo e às idéias dos teóricos pós-piagetianos. Mudam os materiais didáticos e a organização da aula.

• Ensino tradicional
- TEORIA

O que se chama ensino tradicional vem de inúmeras vertentes. Nas escolas laicas, o que predomina é uma tradição conteudista centrada no professor, que é um transmissor de cultura. O sistema de avaliação procura aferir a quantidade de informação absorvida pelo aluno. Esse modelo de ensino foi difundido pelas escolas públicas francesas a partir do Iluminismo (séc. 18). Pretendiam universalizar o acesso ao conhecimento para formar cidadãos.
- APLICAÇÃO

A tradição conteudista, tida como ultrapassada e acrítica durante as décadas de 60 e 70, volta a ter prestígio hoje, mesmo nas escolas que já foram construtivistas. Crê-se que não há como formar um aluno crítico e questionador sem uma base sólida de informação.

O que analisar na escolha da pré-escola da Folha de S.Paulo

Profissionais: observe se os profissionais que vão cuidar do seu filho são pessoas carinhosas e distribuem atenção entre várias crianças, por exemplo. Para cada sala de 10 a 12 alunos muito pequenos, são precisos pelo menos dois profissionais para prestar os devidos cuidados. A criança de um ou dois anos deve ser atendida prontamente, ela não tem idade para desenvolver a qualidade da paciência. Faça uma visita durante o horário escolar para ver se a relação dos profissionais com as crianças é afetuosa e se as crianças estão felizes. Preste atenção também no perfil do profissional que lhe atende. Se você for recebido por um coordenador ou professor capaz de explicar os métodos pedagógicos, é um sinal de que a escola valoriza o diálogo com os pais.

Instalações: observe os aspectos físicos da escola. O prédio não precisa ser bonito e moderno, mas tem de ser seguro e acolher adequadamente as crianças, ou seja, satisfazer as necessidades específicas da faixa etária dos alunos. As escadas e as janelas oferecem perigo? O vaso sanitário é baixo? A criança tem fácil acesso às pias? As salas são arejadas? Há espaços abertos e ensolarados para a criança brincar? Há elementos como água, terra e areia? Verifique também as condições de higiene. O material escolar não precisa ser de primeira qualidade, mas deve ser limpo e adequado à idade de seu filho.

Rotina: analise a rotina da escola, é importante que ela seja adequada ao ritmo do seu filho. Por exemplo: ele poderá dormir no horário em que está acostumado? Como a escola trata o uso de fralda e de chupeta? Pergunte também sobre o lanche. Se for feito na escola, veja se é adequado para seu filho e se há necessidade de complementação alimentar.

Linha pedagógica: nessa fase, o fundamental é que a criança seja bem acolhida emocionalmente, mas é importante também verificar quais são os desafios propostos para o seu desenvolvimento cognitivo e motor. Os escorregadores, por exemplo, são muito pequenos ou muito grandes? Os brinquedos estimulam a movimentação física? Pergunte também quais são os desafios propostos para o aprendizado e a alfabetização.




Nenhum comentário:

Postar um comentário

Postar um comentário